Home News
Category:

News

    México

    Aninhada em México em meio à vegetação exuberante da península central de Yucatán, mesma península onde encontra-se a famosa Cancún, uma antiga cidade maia permaneceu intacta por mais de 1.000 anos.

    No final de junho de 2023 pesquisadores eslovenos localizaram uma antiga cidade, incluindo ruínas maias de pirâmides de pedra de até 15 metros de altura, edifícios, praças e uma acrópole na reserva ecológica de Balamku, no sudeste do México.

    Por causa de suas numerosas colunas cilíndricas de pedra, essas ruínas maias ganharam o nome de Ocomtún, que significa “coluna de pedra” em maia iucateca.

    Um grupo liderado pelo Dr. Ivan Šprajc, arqueólogo do Centro de Pesquisa da Academia Eslovena de Ciências e Artes, percorreu mais de 60 quilômetros pela floresta densa para chegar às ruinas maias, que localizaram usando uma técnica de sensoriamento remoto conhecida como LIDAR (detecção e alcance de luz), que pode identificar estruturas escondidas na floresta.

    “A maior surpresa acabou sendo o local localizado em uma ‘península’ em terreno alto, cercado por extensas áreas úmidas. Seu núcleo monumental cobre mais de 50 hectares e tem vários edifícios grandes”, disse Šprajc em um comunicado divulgado pelo Instituto Nacional de Antropologia e História do México (INAH).

     

    ONDE FICA A CIDADE MAIA DE OCOMTÚN?

    México-Ciudad Maia
    Pode ser desafiador acreditar que, nos últimos 100 anos de intensa exploração arqueológica dos assentamentos maias, Ocomtún conseguiu permanecer nas sombras.

    Isto deve-se à sua localização geográfica. A Península de Yucatán, no México, é envolta por florestas densas e florescentes, nas quais uma estrada não é fácil de seguir. Videiras grossas precisam ser cortadas manualmente, o que pode ser trabalhoso.

    Imagens aéreas o levaram à curiosa cidade situada no meio da Península de Yucatán, dentro da Reserva Ecológica Balamkú, no estado de Campeche, no sul do México (antiga Planície Maia Central).

    O local foi erguido em uma espécie de subpenínsula – definida por uma porção de terreno alto cercada por extensas áreas úmidas.

    Ocomtún localiza-se a cerca de 540 quilômetros (8 horas de carro) de Cancún.

    Por causa da vegetação impossivelmente densa, biodiversidade incrivelmente rica e quase completa falta de estradas, nenhuma descoberta arqueológica havia sido feita dentro desta zona morta exploratória de 1.150 quilômetros quadrados até este último verão.

     

    POR QUE OCOMTÚN É IMPORTANTE?

    México Ruinas Maias
    Embora muitos anos de escavação sejam necessários para limpar suficientemente a selva obstinada que envolve Ocomtún, várias descobertas significativas já vieram à tona.

    Estes incluem várias pirâmides que atingem 50 metros de altura, várias colunas de pedra com esculturas informativas, três praças, cerâmicas e até uma quadra para o antigo jogo de bola mesoamericano (também jogado pelos astecas e incas), agora conhecido como Juego de Pelota – possivelmente um dos esportes coletivos mais antigos existentes.

    O jogo foi proibido pelos conquistadores espanhóis do século 16, mas está sendo revivido pelos atletas maias modernos.

    Talvez a infraestrutura de Ocomtún ajude no renascimento cultural. Dado o tamanho e a complexidade de Ocomtún, Šprajc acredita que “o local serviu como um importante centro em nível regional, provavelmente durante o período clássico”.

    Outro enigma intrigante que Ocomtún pode ser capaz de resolver é por que o povo maia optou por migrar para longe das costas e para um terreno tão desafiador e isolado.

     

    REGRESSO PREVISTO A OCOMTÚN

    México-Cancún
    Levados pela emoção da descoberta, muitas vezes descartamos as questões ambientais que vêm com a escavação e exploração de antigos locais de assentamento. Para escavar um local, você precisa de acesso, o que requer estradas. No caso de Ocomtún, a equipe criou 37 quilômetros de estrada, que podem ser usados por carros.

    Uma vez descobertas, muitas cidades e ruinas maias são vítimas das consequências do comercialismo.

    Pessoas de todo o mundo se reúnem para estar na presença dessas maravilhosas estruturas antigas. Lamentavelmente, essa manobra sacrifica o ecossistema em busca de objetivos comerciais.

    Até hoje, o Dr. Ivan Šprajc não publicou nenhum artigo sobre suas descobertas em Ocomtún. A equipe planeja retornar a Ocomtún no primeiro semestre de 2024, quando começa a estação seca.

    Dr. Ivan Sprajc e sua equipe aspiram a desvendar quem eram os habitantes de Ocomtún, entender seu modo de vida e explorar suas relações com outras cidades maias.

    Reserve através do nosso site www.royal-holiday.com e siga viajando com a Royal Holiday.

    0 comment
    0 FacebookTwitterPinterestEmail
Newer Posts